quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Veículo da Secretaria de Saúde de Ribeirão do Pinhal capota na PR 160, próximo à Nova Fátima, deixando quatro pessoas feridas

No início da tarde de quarta-feira (24), por volta das 13h, socorristas do SIATE DE Cornélio Procópio foram acionados para atenderem um grave acidente na PR 160, próximo a cidade de Nova Fátima (33 Km de Cornélio Procópio), onde um veículo da Secretaria de Saúde de da prefeitura de Ribeirão do Pinhal capotou após se chocar contra um caminhão, deixando quatro pessoas feridas.

Rapidamente o SIATE enviou uma ambulância com os socorristas Fábio e Mike, contudo, como havia a informação que haveria vítimas encarceradas, também seguiram para a área do acidente, os socorristas Borotta e Eduardo com o caminhão do Corpo de Bombeiros equipado com ferramentas pesadas para o corte de ferragens.

De acordo com o socorrista Fábio do SIATE, ao chegar ao local, logo a equipe se deparou com as quatro vítimas já fora do carro sendo atendidas por uma equipe médica do hospital municipal de Nova Fátima, todos apresentado ferimentos, porém nenhuma delas estava encarcerada no veículo.

Em virtude do número de vítimas, teria sido esta equipe médica que acionou o SIATE de Cornélio Procópio, juntamente com os socorrista do SAMU, que também chegaram logo ao acidente com um grupo avançado, com um clínico geral para dar apoio em caso de haver alguma situação mais grave.

Segundo Fábio, entre as vítimas estava o motorista do carro, funcionário da prefeitura de Ribeirão do Pinhal, apresentando suspeita de fratura no nariz, que lhe causou intenso sangramento.

Os passageiros seriam pacientes, que estiveram em Cornélio Procópio pela manhã, onde realizaram exames e voltavam para casa, informou o socorrista.

Eles seriam uma senhora, que sofreu um corte contuso na parte frontal do crânio e seu filho, que apresentavam um ferimento na altura de um dos supercílios.

A quarta vítima era um rapaz, que sofreu escoriação no cotovelo direito e reclamava de dores nas costas, relatou Fábio.

Conforme informações colhidas com o motorista do carro durante o atendimento, ele seguia pela estrada quando um caminhão entrou na sua frente. Ele teria tentado jogar o automóvel para o lado e ao frear, acabou se chocando na traseira do veículo, vindo a capotar, informou o socorrista.

Por sorte todos estavam de cinco de segurança e o airbags do carro foram acionados, o que evitou que as vítimas sofressem ferimentos mais graves, salientou Fábio.

Após receberem os primeiros socorros, as vítimas foram encaminhadas para a Santa Casa de Cornélio Procópio com as ambulâncias do SIATE, SAMU e o hospital de Nova Fátima, onde passaram por maiores exames e tratamento de seus ferimentos, finalizou o socorrista Fábio.

Na área central de C. Procópio, motorista avança preferencial da Rua Colombo e é atingida por duas motos

Na noite de quarta-feira (24), socorristas do SIATE de Cornélio Procópio foram acionados por volta das 19h para atenderem dois motociclistas que ficaram feridos em uma colisão com um automóvel no cruzamento entre a Rua Paraná e Colombo, na área centra da cidade.

Uma equipe formada pelos socorristas Borotta e Eduardo se dirigiu ao local e ao chegar, se deparou com as duas vítimas, ambas conscientes e orientadas deambulando pela área do acidente.

De acordo com o socorrista Borotta, uma das vítimas sofreu uma contusão no joelho e reclamava de dores. O segundo motociclista apresentava dores no ombro direito e escoriações na mão, também direita.

O primeiro dispensou o atendimento, assinado o termo de responsabilidade, já o segundo, este concordou em ser encaminhado ao pronto socorro da Santa Casa para uma melhor avaliação médica e tratamento do ferimento em sua mão, relatou o socorrista.

Ainda de acordo com o socorrista Borotta, conforme informações de testemunhas e dos envolvidos no acidente, a colisão aconteceu quando o carro, um veículo Ford/Ecosporte, cruzou a preferencial da Rua Colombo, vindo pela Rua Paraná no sentido bairros, sendo atingido pelas motos, que desciam a Rua Bahia, que não conseguiram frear a tempo, acabando os dois motociclistas sendo arremessados ao chão.

Após realizarem o procedimento de praxe, os socorristas conduziram o motociclista até a Santa Casa, onde o mesmo ficou sob os cuidados da equipe médica de serviço.

Leiturista da Sanepar atacado três vezes por cães é indenizado por danos morais e estéticos

ReproduçãoA Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho manteve decisão que condenou a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) a indenizar por danos morais e estéticos um agente comercial de campo (leiturista) vítima de três ataques de cães, em datas diferentes, enquanto tentava ler hidrômetros em residências. Devido aos acidentes, ele passou por cirurgia no ombro e no antebraço para reparar as lesões. A indenização equivale a 15 salários do trabalhador.

Na ação judicial, o leiturista afirmou que os incidentes decorreram também da negligência do empregador por não proporcionar meios eficazes para evitar os problemas com animais domésticos. Ele pediu reparação por danos moral e estético, pois se sente constrangido em apresentar as marcas das mordidas no braço, e requereu, ainda, o custeio de nova cirurgia plástica para retirar os sinais dos cortes.

A Sanepar, em sua defesa, alegou ter cumprido todas as normas de segurança, higiene e saúde do trabalho, entre eles o fornecimento aos agentes de campo computador de bordo com dispositivo para avisar quais residências tinham cães bravos. A companhia afirmou que, após os ataques, encaminhou o empregado para o hospital, entregou a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) para o INSS e acionou a área jurídica a fim de responsabilizar os donos dos cachorros.
O juízo da 17ª Vara do Trabalho de Curitiba (PR) determinou o pagamento de indenização equivalente a 15 salários, no total de R$ 13 mil, mas indeferiu o pedido relativo a novo procedimento cirúrgico, por concluir que não ficou comprovada sua necessidade. A sentença foi mantida pelo Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR). 

De acordo com o TRT, não houve responsabilidade direta da Sanepar, mas sim indireta, por ter sujeitado os empregados ao risco de prestar serviços nas ruas e nos imóveis de desconhecidos. O Regional considerou que a culpa foi agravada pelo relato de testemunhas sobre recomendação da empresa para reduzir o uso do código eletrônico identificador de cão bravo. "Assim, estão presentes o dano, o nexo causal e a culpa do empregador pelos acidentes que o agente sofreu", concluiu. 

Contax abre 120 vagas de emprego em Londrina

ReproduçãoA Contax, uma das maiores empresas de serviços de terceirização de processos de negócios (CRM/BPO) do país, oferece mais de 1,2 mil ofertas de emprego em todo o Brasil. Em Londrina, a empresa está selecionando candidatos para 120 vagas de atendente de Contact Center.

Para se candidatar a alguma das vagas em aberto, basta acessar a página da empresa no Facebook e clicar no ícone "Trabalhe Conosco". Os interessados podem se inscrever pela própria página ou através de entrevistas agendadas pelo telefone (43) 3031-8640. No endereço eletrônico é possível visualizar oportunidades em aberto e até mesmo enviar um currículo. Os funcionários da Contax também podem indicar amigos para trabalhar na empresa.
As oportunidades em aberto despertam o interesse, principalmente, dos candidatos jovens em busca do primeiro emprego e também daqueles em busca de recolocação profissional. Uma das maiores empregadoras do Brasil, a Contax tem atualmente mais de 60 mil colaboradores em dez estados, sendo mais de 2 mil em Londrina. 

Os contratados receberão salário fixo mais benefícios, que serão informados durante o processo de candidatura. 

"A Contax tem em seu DNA a busca pela qualidade no relacionamento dos nossos clientes com o cliente final. Por conta disso, dinamismo e comprometimento são características que buscamos nos profissionais. Além disso, é importante estarem antenados com os mais diferentes canais de relacionamento", afirma Andrei Passsig, diretor de Recursos Humanos da Contax.

Abert abre vagas para primeira pós em radiofusão no Brasil

Em uma parceria inédita, o Centro Universitário Internacional Uninter abriu as inscrições para a primeira pós-graduação em Gestão de Empresas de Radiodifusão do Brasil. Na última quinta-feira (18), em Curitiba, os representantes da Uninter e das associações envolvidas - Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (Aerp), Associação Brasileira de Emissoras de Radiodifusão (Abert) e Federação Nacional das Empresas de Rádio e Televisão (Fenaert) - assinaram o termo de cooperação para o início das atividades.

As inscrições para o curso, que é a distância (EaD), devem ser realizadas pelo site site da Uninter, até o dia 21 de setembro. As aulas começam no dia 26 do mesmo mês. A especialização tem duração de nove meses e custo de 18 parcelas de R$ 250,00.

As inscrições também podem ser realizadas por meio de convênio com emissoras de rádio. Neste caso, as empresas devem aderir a parceria, pelo site www.uninter.com/radiosparceiras, e os seus profissionais inscritos poderão converter os valores das mensalidades em espaços publicitários na emissora.

Na modalidade EaD da Uninter, não é necessária a presença dos alunos nos polos presenciais. O comparecimento acontece somente para uma avaliação final e defesa de TCC. O curso de pós-graduação de Gestão em Radiodifusão pretende dar condições para o especialista assumir cargos de supervisão, gerência e direção de emissoras.
A expectativa é de que o curso atinja um público de mais de 10 mil profissionais, além de atrair novos talentos para a área. A demanda do segmento fica clara quando se olha para os números de uma pesquisa feita pela Kantar Ibope Media em junho deste ano, que aponta que o consumo de rádio segue alto no Brasil, com quase 90% dos residentes, em 13 regiões metropolitanas, desfrutando do meio de comunicação por, em média, cinco horas por dia. No país, há mais de 100 mil pessoas trabalhando no setor. 

Daniel Pimentel, presidente da Abert, lembrou que, em 2017, o rádio completa 95 anos, tendo como principal desafio o investimento em educação, conhecimento e em desenvolvimento de seus profissionais. "Com o selo de qualidade, de credibilidade que o Grupo Uninter traz para essa iniciativa, junto com as emissoras e as associações, que representam o setor de rádio e 
televisão, desenvolvemos esse curso de pós-graduação, que certamente será uma ferramenta de desenvolvimento muito importante para o setor e para o Brasil", avalia. 

Com uma rede de mais de 460 polos de apoio presencial e presença em todo o Brasil, a Uninter e os parceiros da empreitada pretendem atingir o país todo com a novidade. Wilson Picler, presidente do Grupo, afirmou que o empreendimento tem todos os ingredientes para ser uma atividade exitosa e de alto nível. "Nosso objetivo é propagar a educação e esse é um público novo, com profissionais que sairão ainda mais preparados para o mercado de 
trabalho", afirma.

HU realiza cirurgia cardíaca inédita em paciente do SUS

Referência em procedimentos de alta complexidade, o Hospital Universitário (HU) de Londrina inovou mais uma vez com um procedimento inédito no fim de julho. O esforço de uma equipe de nove médicos trouxe ao HU sua primeira substituição de válvula aórtica transapical.

Com técnica pioneira pelo SUS na região, o procedimento durou 40 minutos e surpreendeu até mesmo a equipe pelos ótimos resultados obtidos. O problema que geralmente é tratado com cirurgia invasiva, de peito aberto, foi resolvido com o uso da técnica de incisão transpical, em que dois cortes estratégicos são feitos para obter acesso ao órgão. Pelo método, o coração do paciente continua bombeando sangue durante todo procedimento, não havendo a necessidade de bombeamento artificial.

A paciente, de 71 anos, já fazia acompanhamento cardiológico no hospital há alguns anos. Ao saberem da necessidade de intervenção cirúrgica, os médicos se viram em um impasse, já que o método tradicional seria invasivo demais para a paciente. "O estreitamento da válvula aórtica é comum com o envelhecimento", explicou médico hemodinamicista, Milton Neves. O método transapical surgiu então como uma alternativa para solucionar o problema. A técnica é de alta complexidade e ainda não tem cobertura pelo SUS. No HU, a cirurgia foi financiada pela própria instituição, visto o potencial acadêmico do caso.

A equipe relata que o pós-operatório foi tão tranqüilo quanto o procedimento em si. Após permanecer em observação por cinco dias, a paciente já teve alta, e continua sua recuperação em casa. No procedimento mais invasivo, o tempo de internação poderia se estender por cerca de 20 dias.

Além de dois médicos da hemodinâmica, participaram da cirurgia dois anestesistas, dois cirurgiões, dois residentes da cardiologia com professor, além da equipe de enfermagem. O cirurgião cardíaco Carlos Gaia, convidado de São José do Rio Preto e especialista na válvula que foi no procedimento, também estava presente para ensinar a técnica ao grupo.

Procuradoria vai investigar concessão de bolsas a empresários na UEL

A Procuradoria Jurídica da Universidade Estadual de Londrina (UEL) recebeu duas novas denúncias de bolsas supostamente concedidas de maneira irregular no Mestrado do curso de Ciências Sociais da instituição. Desta vez, o processo de seleção de dois bolsistas empresários será apurado.

A reportagem do Portal Bonde levantou dados sobre os dois estudantes e encontrou empresas abertas em seus nomes. O primeiro caso trata-se de uma estudante, que também é advogada com situação regular na subseção da OAB Londrina, e empresária do comércio varejista, no ramo de vestuário e acessórios. Segundo a Receita Federal (RF), o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) foi aberto em 2004.

O segundo beneficiado também é empresário, de acordo com os dados fornecidos no site da RF. Conforme o documento, o bolsista é operador turístico desde o dia 9 de março de 2015. Conforme o Portal de Transparência da Capes, ambos receberam o auxílio oriundo do Governo Federal, na modalidade demanda social. A primeira aluna foi beneficiada de agosto de 2015 a julho deste ano, no total de R$ 18 mil. Entre dezembro de 2014 e julho de 2016, o segundo aluno recebeu R$ 1,5 mil mensais, somando R$ 30 mil.

Em nota, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informou que existe a possibilidade de percepção de bolsa para empresários, caso seja comprovado que o discente esteja afastado da atividade laboral, "por meio da apresentação do ato societário que autorizou o afastamento do bolsista das atividades da empresa e a não percepção de rendimento, mediante declaração acompanhada da última documentação de rendimentos de pessoa física". Vale lembrar que ambos os estudantes são empresários individuais, ou seja, detêm 100% do capital.